6 Previsões para o trânsito dos planetas Rahu e Ketu de 2019 a 2020


No sistema de Astrologia indiana chamado Jyotisha (do sânscrito, Ciência da Luz), são reconhecidos 9 planetas no sistema solar, sete deles visíveis a olho nu.

Dois deles, Rahu e Ketu são assunto de inúmeras teorias por estudantes de Astrologia por não serem visíveis no céu como os demais. Eles são chamados de Chaya Grahas (do sânscrito Chaya - Sombra, Graha - planeta).

Apesar das teorias, a história do nascimento de Rahu e Ketu nas escrituras pode nos dar um bom entendimento filosófico destes Grahas e sua relação com a ilusão e liberação que são verdades cósmicas e que fazem parte da vida de todos os seres do planeta. Veja também: Aprenda a ler o seu Mapa Natal Védico em apenas 4 passos

A história da origem de Rahu e Ketu

Deuses e asuras bateram o oceano de leite a fim de retirar o néctar dele (bater o leite refere-se ao processo manual de transformar o leite em manteiga, ou seja, ao bater o leite encontramos manteiga, queijo e outros derivados que são os tesouros contidos dentro dele).

Quando o néctar saiu, Senhor Vishnu assumiu a forma de Mohini, uma linda dama, que iludiu os Asuras e distribuiu o néctar apenas aos deuses. No entanto, Rahu estava disfarçado entre os Deuses. O Sol e Lua alertaram Mohini que imediatamente cortou a cabeça de Rahu. A partir de então, tem-se os grahas (planetas) Rahu e Ketu. Rahu sendo a cabeça que encobre o Sol de tempos em tempos e Ketu o corpo sem cabeça que encobre a Lua - ambos dando origem aos eclipses que vemos nos céus.

Em ambas as situações a Lua está envolvida no fenômeno — seja quando a sombra a Terra encobre a Lua ou quando a sombra da Lua encobre parte da Terra. Por este motivo Rahu e Ketu são conhecidos respectivamente como os Nodos Norte e Sul da Lua.