Dr. Frawley sobre Ram Mandir: Uma vitória da Herança Espiritual de toda Humanidade


Na última semana, dia 5 de agosto, foi noticiado em todo mundo a inauguração do templo Ram Mandir pelo primeiro-ministro indiano Narendra Modi, em homenagem ao Senhor Rama – o conhecido avatar que é símbolo de retidão e dharma, retratado no grande épico Ramayana.

Muito enfoque foi dado pela imprensa ao fato do Ram Mandir estar sendo construído sobre as ruínas de uma mesquita muçulmana. De fato, a mesquita Babri Masjid existia no local até 1992, quando um grupo de ativistas hindus colocaram a construção à baixo, desencadeando uma série de conflitos e mortes no local.

No entanto, não se sabe se por falta de esclarecimento sobre História da Índia ou se por questões de linha editorial, pouco foi noticiado à respeito da importância de Ayodhya como local de nascimento de Shri Rama e como herança milenar não apenas da Índia, mas também de vários países asiáticos como Tailândia, Indonésia, Nepal, Coreia, e do mundo inteiro.

Após 130 anos de disputa no Judiciário – sendo este o caso de tribunal mais longo da história da humanidade – foi reconhecido pelo Supremo Tribunal indiano, por meio de escavações do Centro de Pesquisa Arqueológica da Índia que a mesquita muçulmana que existia no local havia sido construída sobre uma estrutura hindu que já era existente. Como se sabe, a Índia sofreu invasões e ocupações por questões de dominação política e religiosa.

Ayodhya é irrelevante para comunidade muçulmana hoje. Ainda assim, foi alvo de exaustiva disputa, não tendo sido reconhecido de forma pacífica a importância em ceder o local para a reconstrução do Templo de Rama.

Reproduzimos abaixo a entrevista para o canal Times Now do renomado autor, dr. David Frawley – erudito, ativista hindu e conhecido escritor de livros sobre Vedas, Hinduísmo, Yoga, Ayurveda e Astrologia Védica. Frawley falou sobre a construção do Ram Mandir em Ayodhya, trazendo esclarecimentos sobre esta reconstrução e importância do templo para a Índia e o mundo nos dias atuais. Confira abaixo:

Times Now: O que a reconstrução do Ram Mandir em Ayodhya simboliza?

A construção do Ram Mandir em Ayodhya acredito ser um dos mais importantes acontecimentos da Índia moderna. E talvez o mais importante evento desde a independência do país. O evento indica um despertar da civilização em Bharat (Índia) e reverências à sua milenar e perene civilização dhármica. Indica respeito à sua influência, não apenas na Índia, mas também por toda a Ásia, seja no Nepal, Tailândia, Indonésia, até mesmo em locais tão longes, como a Coréia, etc.

Com relação ao Ramayana, este é um reconhecimento de que o épico tem sido uma das histórias mais populares na Ásia e em muitos lugares do mundo por milhares de anos. É a fundação de uma cultura e civilização por todo sul e norte da Ásia. E agora está sendo conhecido por toda humanidade, com a popularização global do Yoga, Ayurveda, Vedanta, Budismo, tudo isto.

A história do Ramayana é compartilhada por todo lugar. Por exemplo, até mesmo na remota cidade, há uma hora de onde eu vivia, no estado de New Mexico, nos Estados Unidos, existe um templo de Hanuman. Eu já vi templos de Hanuman em Trinidade e Tobago, no Caribe, em Bali, e em muitos outros lugares. Então este é um grande despertar da civilização, honrando a herança espiritual da humanidade.

Isto também nos leva a crer no papel em potencial da Índia em guiar o mundo como Vishwa Guru – como foi em tempos antigos – trazendo o dharma, espiritualidade, artes, ciência e abundância a todos. Então, em poucas palavras, é desta forma que eu vejo isto.

Este é um evento histórico e estou muito feliz de fazer parte dele. E muito honrado pelo Times Of India por me trazer aqui. É definitivamente uma grande honra para mim e eu gostaria de enviar minhas reverências a todo círculo de devotos no ocidente, na América. Eu estive em Ayodhya para as celebrações do Diwali, e carreguei esta energia comigo, então esta é uma grande vitória da Luz, uma grande vitória da profunda herança espiritual de toda humanidade.

Times Now: Dr. Frawley, um representante da RSS (partido de direita indiano) diz que o templo não é um mero bloco de concreto e pedras e que "este templo é o símbolo da fé e aspiração de milhões de bharathyas", como isto é possível?

Bem, primeiramente, pelo próprio fato deste templo ser reconstruído após tantos séculos – uma civilização espiritual de tantos milhares de anos, tem havido tanta oposição a isto. Isto tem relação ao longo período de dominação estrangeira no país, e até mesmo oposição moderna de várias fontes.

Então, esta é uma grande vitória para todos aqueles que têm defendido o templo e Ayodhya, por tantos séculos, ambos a partir de uma esfera pessoal e também intelectual e espiritual. Na Índia, a terra é sagrada, você sabe: Bharat Mata, Bhoomi Mata... E ela carrega a vibração daqueles que ali viveram, nasceram, passaram seu sadhana.

Para a maioria das pessoas, Ayodhya é a mais sagrada e famosa de todas as 7 cidades sagradas da Índia. A cidade sobreviveu. E agora esta sendo coroada, esta jóia está retornando mais uma vez, e isto representa sim as aspirações de todos os devotos de Shri Ram.

Nenhum templo é apenas "concreto e pedras". Eles representam as aspirações, as pessoas, a história, a conexão com a terra. E esta é a nossa conexão viva com o infinito e eterno. Desta forma, o Ram Mandir é de grande importância para Bharat e também para todo o mundo. Para honrar os antigos sabios, rishis, grandes tradições da humanidade, muitas das quais foram esquecidas ou alvo de céticos, mas que ainda é um santuário na terra e no coração das pessoas, e de muitas tradições diferentes por todo o mundo.

Times Now: Você acha que este é também um dos motivos pelo qual os invasores que vieram, como Mongóis, decidiram construir uma mesquita neste mesmo local? Pois queriam sugerir ao mundo que foram capazes de capturar o coração e alma deste país?

Certamente este é o caso, este é sempre o caso de invasores e dominadores que vêm de fora para descreditar a existência da civilização, nação existente e substituir por sua própria supremacia, superioridade.

Na Era medieval, a poucos séculos atrás, e até mesmo na Era Colonial por todo mundo, nós tivemos a imposição de reforma colonial com base em religiões, igrejas e crenças, sobre nativos, seja nativos americanos, nativos africanos, população da Ásia, polinésia, e especificamente na Índia também.

Então, é claro, isto era de se esperar. Também temos esta questão na catedral de Sophia, que foi uma igreja por milhares de anos e que foi convertida em uma mesquita. Na Índia, nem sempre foi tão fácil converter templos em mesquitas e outros locais religiosos. Mas era algo possível que um templo poderia ser removido ou outra coisa poderia ser reconstruída lá.

Então, obviamente, se tal dominação estrangeira aconteceu, uma vez a cidade de Ayodhya tendo sido dominada, Rama, sendo o espírito do dharma, o rei histórico, um representante da Índia, Bharat, e aceito por todos os grupos na sociedade – naturalmente os invasores quiseram alguma supremacia, autoridade, e fazer com que pareçam iguais ou superiores a Shri Ram, a fim de ganhar credencial, então isto simplesmente era algo de se esperar.

Mas isto tudo não é mais aceitável hoje, em todo mundo, onde estamos despertando para o valor de tradições nativas.

A índia é repleta de tais templos, mas Ram Mandir é o local central que representa a antiga herança da Índia, sem ele não pode haver um revival cultural na Índia ou um verdadeiro despertar para seu destino histórico e sua influência ao redor do mundo, o valor de seus ensinamentos, gurus, e claro de Shri Ram, Ramayana, Sita Ram, Hanuman e tudo isto.

Times Now: Você acredita que, olhando para todo o longo tortuoso caso de tribunal que durou mais que 130 anos, você acredita que mais melhoria poderia ter sido realizada pela comunidade que é minoria, na Índia, para resolver esta questão, de forma que não precisaríamos chegar aos casos de violência que vimos em torno desse caso particular e símbolo de fé e aspirações para milhões de barathis?

Bem, certamente, é preciso notar que este foi provavelmente o caso de tribunal mais litigado na história do mundo e pelo maior período de tempo. Mesmo a identidade de Shri Ram, Ayodhya, sendo sagrada para todos os hindus ou pessoas ligadas a religiões dhármicas, e sendo relativamente desconhecida de outras pessoas que seguem outras tradições, ainda assim é o caso mais litigado da história.

Nós todos deveríamos reconhecer... Por exemplo, eu visitei a Bulgária alguns anos atrás, e na Bulgária eles substituíram muitas mesquitas que foram construídas sobre igrejas, trazendo de volta as igrejas, e naquele tempo as Igrejas foram obrigadas a serem feitas em um terreno baixo, alguns metros abaixo da altura normal para mostrar inferioridade, então havia novas construções quando estive lá. E isto não foi decidido não por um grande caso de tribunal, simplesmente foi feito em esferas governamentais, então isto deveria ser entendido na Índia também.

Não há locais sagrados hindus devolvidos, desde 1947, apesar de haver grande perda de locais sagrados hindus no Paquistão, Bangladesh, em locais de maioria hindu, muitos locais foram perdidos nestas áreas. Então tem havido uma grande paciência entre a comunidade hindu, e a comunidade que é minoria poderia ter sido mais gentil e receptiva, aceitando o que aconteceu historicamente.

O problema é que o interesse da minoria sempre teve apoio de muitos da esquerda, influências comunistas. Estas pessoas não queriam um despertar hindu na Índia, assim como não queriam também um despertar budista na China. Então eles empurraram uma minoria, e inflaram certos sentimentos nela que poderiam não ter vindo à tona se não houvesse essa influência da esquerda radical.

Eu acredito que a questão do Ram Mandir teria se resolvido de forma mais rápida. Também houve mais irresponsabilidade na agilidade do judiciário, tendo o governo permitido o caso prolongar por muito mais tempo do que o necessário. Tudo isto fez com que o caso fosse mais difícil para todas as partes envolvidas. Poderia ter sido solucionado lá atras, em 1947 ou até mesmo 1950, não haveria qualquer problema com qualquer comunidade, após isto, poderia ter sido aceito como um fato e talvez um local honrado por todos.

Times Of India: Dr. Frawley você culparia então a postura de teimosia tomada por aqueles que defenderam a ocupação do local pelo crescimento do movimento político Hindutwa?

Primeiramente, eu preciso lhe dizer, que hindus são os menos políticos de todos os grupos religiosos no mundo. Há apenas um grupo hindu no governo, fora da Índia, que conheço, a Hindu American Foundation of India. Por outro lado, existem centenas e milhares de grupos judeus, cristãos, claro, muçulmanos e até mesmo grupos Sikh, fora da Índia, mas nenhum grupo hindu.

Dentro da Índia, os grupos hindus também são o menos organizados, politizados. Vemos cristãos e muçulmanos frequentemente colocando em pauta suas questões religiosas. Parte disso é compreensível, pois os hindus são a maioria na Índia, mas é fato que hindus não têm se posicionado politicamente, seja requerendo de volta os seus templos ou removendo a Suprema Corte e governo de interferir em questões de templos hindus; fato que ocorre na Índia, como sabemos.

Entrevista sobre a construção do Ram Mandir para o canal Times Now

No entanto, isto não ocorre em outros países, hindus têm mais liberdade para gerir seus templos nos EUA do que na Índia. Acho que tudo isto ajudou a despertar os hindus para o fato de que eles têm sido marginalizados politicamente, mesmo sendo um país majoritariamente hindu.

Por fim eles perderam um papel responsável, politicamente, como uma comunidade, dando suporte a causas hindus, votando, legislação e outros meios, eles passaram a ser tratados como uma minoria, e seus interesses foram suprimidos na própria terra onde eles são maioria.

Então eu sinto que este despertar hindu é muito bom. Talvez, possa existir algum excesso ocorrendo junto desse caso, e nos temos sim que considerar pelo bem de todos. Mas a comunidade hindu deveria ter o mesmo tratamento legal, político, nos votos, na política, assim como outros grupos políticos têm.

A maioria da comunidade cristã, ao redor do mundo, são muito ativas politicamente, assim como também comunidades muçulmanas... Como eu disse, hindus acabam tendo muito menos que qualquer outro grupo, por isso precisam se engajar politicamente, trazendo o senso de valores dhármicos, proteção à Terra, mantendo a herança indiana, e também compartilhando paz e harmonia com todos os grupos.

Isto é o que minorias hindus nos Estados Unidos, Reino Unido, e vários outros lugares têm feito. Eles permanecem no país, não causam nenhum problema, eles produzem bastante riqueza nos países para os quais migram. Por este motivo, o papel da Índia deveria ser tão importante quanto a de qualquer outra comunidade, em particular para a comunidade onde são maioria e herança espiritual a qual mantêm.

Times Of India: Bem, você falou agora a pouco como a reconstrução do Templo de Rama será responsável por um revival cultural. Agora, existem -– e você já mencionou eles – liberais de esquerda que têm acompanhado a construção do templo como um símbolo de um revival "religioso Hindu". Como você vê este argumento?

Bom, eu vejo que este é o mesmo argumento típico e limitado que surge deste grupo. Primeiramente, a tradição hindu é Sanatana Dharma, uma tradição universal e que aceita muitas vertentes de caminho espiritual.

Eu costumo dizer que há mais religiões dentro do Hinduísmo que fora dele, sem mencionar ainda aspectos como espiritualidade, cultura, ciência, diferentes filosofias, artes de todos os tipos. Sanatana Dharma é uma tradição muito vasta e aberta, não é tradição limitada de crença religiosa. Não é também uma limitada ideologia política como vemos surgir da extrema esquerda, até mesmo na Índia.

O Ramayana e Ayodhya é reconhecido em toda a Ásia, desde a Coréia, até a Indonésia, passando pela Tailândia, Nepal, por toda a Índia... Então este deverá ser um local sagrado para todos aqueles que estão honrando Shri Ram e o Ramayana.

No local haverá também museus, centro culturais, locais para reunir as pessoas. Então, os esforços não são apenas poíticos. Aqueles que não podem compreender Shri Ram como um símbolo da Índia, como um símbolo de Bharat, são pessoas de mente extremamente limitada.

Se eles quiserem se unir em devoção ou trazer um significado espiritual mais profundo à figura de Shri Ram e toda história do Ramayana, certamente isto será benvindo. No entanto, negar as aspirações deste local, conhecido por milhares de anos como o local que representa as aspirações de bilhões de pessoas certamente representa uma visão limitada e, para mim pessoalmente, representa um sistema mental colonial que não tem qualquer fundamento hoje.

Existe um completo desentendimento à respeito da Índia como civilização, hinduísmo como religião e Rama como um avatar e o significado profundo sobre o Ramayana, que é uma das maiores histórias de todos os tempos para todos.

Times of India: Mas dr. Frawley, e se eu dissesse a você que os liberais de esquerda falam sobre um Revivalismo Hindu em um contexto que eles chamam de "o belicismo do canto dhármico Jai Shri Rama"

Bem, isto é certamente totalmente infantil. Apesar de que, devo lhe dizer, e você provavelmente já sabe, que cantos são utilizados em todos os exércitos na Índia há muito tempo.

Acredito que Jay Shri Ram ainda seja parte do canto do exército no estado de Andra Pradesh e Ram também faz parte do canto em outros locais, assim como o nome de outras deidades e gurus. Como no caso de Shivaji Maharaj, no estado de Maharastra, que faz suas reverências a este grande rei.

Tudo isto faz parte da tradição kshatrya, trazendo toda a visão política e das pessoas, pois tudo isso faz parte de uma herança nacional no geral. No entanto, se você vai até um aeroporto e canta "Jay Shri Ram", você não vai ver pessoas correndo do local, saindo de seus assentos, não vai ver pessoas sendo presas, não existe terrorismo ligado ao nome Jay Shri Ram.

Jay Shri Ram é um simbolo, não apenas de orgulho mas de espiritualidade e de uma tradição que é encontrada em muito países diferentes em todo o mundo também. Ele tem o seu lugar como um dos grandes cantos em toda a cultura da Índia.

Eu citei no twitter, há mais ou menos um ano atrás que cantar o nome de Rama costuma remover os sentimentos de medo, ansiedade, facilita o sono, ajuda crianças a melhorar a imunidade. O canto também desperta nossa devoção ao divino, nosso senso de dharma.

O que acontece é que a esquerda colocou uma carga bélica na maioria dos vocabulários que eles puderam encontrar. Eles gostam de nomear as pessoas, seja de fascista, denegrir as pessoas, chamar hindu de hindutwa.

Bem, eles não fazem isto com os membros de outras religiões que são, de longe, muito mais agressivos e também muito mais atuantes na política do que os hindus. Então, acho que isto tudo é parte da distorção que eles trouxeram da história, repetindo os textos de história, como na União Soviética e mesmo na China atual, estas distorções estão lá.

Então a esquerda... Na verdade, eu não os chamo de esquerda e sim de liberais, ou esquerda radical, ou esquerda marxistas – eles também destruíram a história da Índia.

Por meio da mídia, eles criaram muitos termos negativos a fim de denegrir não apenas o hinduismo, mas todas as tradições dhármicas. Por exemplo, eles não apoiam o Tibet e nem o Dalai Lama, agora tentam também denegrir Shri Ram. Acho que todos eles deveriam fazer uma peregrinação a Ayodhya e fazer ao menos uma semana de sadhana em Ayodhya, estudar com atenção o Tulsidas, Valmiki, Rayamana e assim conhecer a grande civilização indiana e herança espiritual. Eles se comportam de maneira alienada ao próprio país e, de alguma forma, perderam sua própria tradição. Acho que é tempo dessas pessoas redescobrirem, ou verdadeiramente descobrirem a Índia (ou Bharat). Isto pode certamente ser feito através de Ayodhya e o nome Ram Mandir.

Times Of India: Dr. Frawley, lendo alguns comentários nestes ambientes de esquerda ou até mesmo lendo alguns comentários de alguns líderes de partido é dito que "Sri Ramachandra ji não iria gostar da construção do templo nos dias de hoje no local de demolição de outro templo". O que você tem a dizer sobre este tipo de observação?

Bom, eu fico surpreso por eles saberem como Sri Ramachandra ji pensa e o fato de tomarem decisões por Ele, apesar de eles nunca terem mesmo apoiado Ram, Ramayana ou qualquer algo do tipo. Tenho certeza também de que nunca fizeram qualquer conexão através de sadhana ou práticas de reverências a Shri Rama no geral.

Na verdade, historicamente, existiram muitas batalhas, muitas lutas. Sabemos que Shri Ram desceu até o Sri Lanka e lutou com Ravana. Há também a história de Kurukshetra, no Mahabharata. Então, incontáveis lutas se seguem. A tradição em si traz o Ahimsa que significa tentar evitar violência a qualquer custo. No entanto, em algumas circunstâncias, o dharma precisa ser defendido.

É preciso saber também que este local criado pelos invasores em cima do Ram Mandir não era para eles um local realmente sagrado, nascido a partir de uma tradição. Para eles, era mais um local estrategicamente político, montado rapidamente como parte de uma força de fora.

Vimos o mesmo tipo de atitude errada feita em Kashi Visvanath, Mathura... Eram apenas movimentos políticos. Então, vamos separar o que é um local fabricado politicamente de uma antiga herança.

Eu não encontrei nenhuma pessoa muçulmana que considerasse Ayodhya, na Índia, como um dos seus principais locais sagrados, considerando o passado dos grandes profetas. Não digo que esta opinião não possa ser encontrada em algum lugar. No entanto, o peso sentimental de Ayodhya pertence aos hindus de tradições dhármicas.

Você pode encontrar mais de 150 locais que fazem referência ao Ramayana na cidade de Ayodhya, a herança está lá. Então, vamos apenas reconhecer este fato.

Por que a extrema esquerda na Índia não poderia honrar a tradição indiana, sem necessariamente se tornar hindu? Pois eu geralmente vejo na China, os comunistas do país admiram seu próprio passado, mais do que os comunistas na Índia. De certa forma, eles são até mesmo antinacionalistas e também contra a herança indiana, eles estão mais familiarizados com idéias marxistas e ocidentais do que com os Vedas, Upanishads, Bhagavad Gita, Ramayana, Srimad Bhagavatam, Kalidasa e tudo isto.

É tempo da esquerda se reeducar em sua própria tradição, com alguma humildade, e com respeito, honrando a cultura desta maravilhosa civilização na qual eles nasceram. Desta forma, eles vão poder exercer seu verdadeiro papel de elevar a humanidade nas tradições dhármicas e grande história de Bharat. É preciso deixar de lado a arrogância intelectual que geralmente cria conflitos e violência e desarmonia não apenas na Índia mas em muitos outros países.

Tmes Of India: Alguns editoriais, nos últimos dias, têm dito que a reconstrução do Ram Mandir, a partir de agora, formalmente, quebra com o antigo e a cerimônia de Bhoomi Puja marca uma nova república, que refuta o multiculturalismo. O que você tem a dizer sobre esta observação?

Bem, é muito simples, obviamente Ayodhya precisa de um grande monumento local para Shri Ram. Ayodhya é uma área repleta de histórias.

Com o passar do tempo, algumas coisas podem ficar fora de lugar ou removidas neste processo que tem acontecido em toda Índia, onde muitos edifícios, estradas têm sido construídos. Uma grande homenagem precisa ser feita e é preciso mostrar a grandeza e a história de Shri Rama e o Ramayana em Ayodhya. O próprio fato de que há vários outros locais em Ayodhya que reverenciam Shri Rama deve ser incorporado e reverenciado de uma maneira positiva.

Mais uma vez, essas declarações são feitas por pessoas que não querem que Shri Ram ou Ramayana sejam reverenciados. Estas declarações não são feitas por pessoas que estão considerando a dominação de nossos locais sagrados, feita no passado.

Existem milhares de outros locais por toda a Índia na mesma situação e que precisam de apoio, inovação, cuidados e proteção. Então, vamos sair dessas disputas políticas e arrogância e reconhecer que o triunfo de Ayodhya é o triunfo de Shri Ram e também utilizar isto para restaurar o que é ainda mais bonito do que a arquitetura histórica da Índia que é a sua filosofia, espiritualidade iogue, medicina, artes, ciência. Que esta seja a base do grande renascimento que produz este tipo de monumentos e artes, até mesmo em outros locais além da Índia.

Times Of India: Se o Senhor Rama se tornar um símbolo dessa renascença védica, você vê isto indo para qual direção?

Bem, o Senhor Rama é um símbolo da renascença védica, mas também um símbolo da renascença da Índia, Bharat. Shri Ram é considerado também no budismo, na Tailândia, e outros países budista, Coréia. É preciso entender que tradições dhármicas não são tradições de crenças exclusivas, assim como existe em outras religiões.

Tradições dhármicas têm como base promover meditação, multiplicidade de gurus, multiplicidades de Shastras (escrituras), debate aberto, incorporar arte, cultura, arquitetura, medicina, e explorar a mente e consciência, há muitos caminhos de conhecimento, assim como caminhos de fé e crenças. Essas tradições mantém grande variedade das ciências da consciência, que é uma ciência suprema. Somente através das ciências da consciência conseguimos compreender a nós mesmos e ao universo como um todo.

A renascença hindu deve seguir o movimento de independência da Índia, que foi meio que raptado pela influência da extrema esquerda que surgiu depois do movimento de independência.

Existe uma variedade: Ramakrishna, Vivekananda, Swami Rama tirtha, Sri Aurobindo (...) Mahatma gandhi, Tagore, existem muitos pontos de vista diferentes, podemos não concordar com todos eles. No entanto, todos eles fazem parte desse despertar civilizatório que se espalhou também por muitos outros gurus deste século como Ramana Maharishi, Ananda Mayi Ma, Swami Sivananda, Swami Chinmayananda, recentemente Swami Dayananada, tudo isto existe e está acontecendo.

Esta renascença deveria ser honrada. Esta é uma renascença que está acontecendo globalmente. Existe hinduísmo hoje na América, temos grandes comunidades hindu na Europa, América do Sul, que estão espalhando o Yoga, Ayurveda, Vedanta, budismo, jainismo, todas estas tradições, tradições Sikh.

Então esta renascença de tradições dhármicas são muito necessárias hoje em dia. Ela transcende a política. Ela transcende meras crenças exclusivas. Ela está promovendo espiritualidade profunda, autoconhecimento, yoga, meditação e está nos direcionando também ao entendimento universal da vida, reconhecimento da natureza sagrada de todas as vidas e de que existe um Ser e consciência em todos os seres. Elas nos ensinam a proteger a Terra e suas criaturas, é uma tradição ecológica. Enfim, está compartilhando a herança espiritual com toda humanidade.

Precisamos deste tipo de renascença em todo lugar e um despertar para todos. Que ela chegue em nativos dhármicos, tradições espirituais e místicas se assim podemos defini-los. Precisamos de consciência espiritual elevada para lidar com a nossa tecnologia de informação. Pois de outra forma se apenas usarmos a tecnologia de informação através da mídia, política, ou materialismo, ela pode nos sufocar, então precisamos dessa idéia que transcende e da realização da consciência que é a fundação de toda Índia e tradição de Bharat.

Times Of India: Foi Esclarecedor conversar com o senhor, muito obrigada por nos conceder seu tempo. Obrigado.

A honra é minha de estar com vocês para falar sobre este evento. Só posso dizer Jai Shri Ram e que o espírito de Rama se eleve em todos nós para o benefício de todos e todo o planeta e todos os seres. Hari Om.

- Entrevista na íntegra pode ser acessada no youtube (clique aqui)

banner-portal-vedico.png

Criado com wix template - Copyright © 2016 - 2020 Portal de Notícias e Estudos da Índia. Todos os Direitos Reservados