4 Erros que cometemos ao consumir cebola e alho em excesso

27/04/2018

Vivemos em época de grandes mudanças e consciência alimentar. O Veganismo e vegetarianismo viraram assunto em destaque tanto nas mídias sociais, quanto nos meios de comunicação. O mercado para produtos isentos de ingredientes de origem animal cresce 40% a cada ano no Brasil. 

 

Em meio a tantas novas informações sobre o problema da causa animal, muitos têm se voltado à Índia, país de tradição vegetariana, em busca de receitas e novos sabores.

 

O uso de especiarias como Açafrão-da-terra, curry, gengibre, cominho,  entre muitas outras transformam, a culinária caseira em um verdadeiro hospital para mente e corpo. O uso de temperos sátvicos é responsável pela imunidade, saúde, força, estabilidade e clareza mental. 

 

Veja também: Receita fácil de Curry de Vegetais para esquentar o inverno

 

No entanto, é preciso admitir que muitas receitas que encontramos em websites vegetarianos, vegans e indianos, a quantidade de temperos picantes, rajásicos e tamásicos*, como a cebola e o alho, é muito alta. (*Veja mais sobre Gunas ao final do texto)

 

Muitas dessas receitas, apesar de vegetarianas, podem desestabilizar principalmente o elemento Pitta Dosha podendo ser responsável por instabilidade na mente e sentimentos negativos.

 

Não é possível nos imaginar comendo uma cebola inteira e dois dentes de alho puros de uma só vez. A natureza fez estes alimentos de uma forma que eles não sejam consumidos rotineiramente como no caso de uma fruta, tomates, batatas, por exemplo. 

 

No entanto, é isto o que muitas receitas adicionam ao refogado de seus pratos diários. 

 

O que diz o Ayurveda sobre cebola e alho

Existe uma lenda hindu sobre a origem da cebola e alho. De acordo com escrituras, Vishnu servia o Néctar da imortalidade aos semideuses, e um demônio disfarçou-se e sentou-se na fila também para receber. O Sol e a Lua alertaram Vishnu sobre o demônio e assim que Vishnu o viu lhe cortou a cabeça, dando origem aos nodos lunares Rahu (cabeça) e Ketu (corpo). A mistura do néctar que estava prestes a ser dado ao demônio com seu sangue caiu no chão e desta combinação surgiu a cebola e alho.

 

 

 

Veja também: Qual a diferença entre Astrologia Védica e Ocidental e como isto afeta o seu Signo

 

No ayurveda, cebola e alho são tidos como remédios para gripes, resfriados, imunidade, purificação sanguínea e infecções. O uso em demasia não é recomendado uma vez que, assim como na lenda de Rahu e Ketu, esses ingredientes também oferecem uma curiosa combinação de propriedade medicinais e efeitos que desestabilizam a mente e consciência humana.

 

Os 4 erros que cometemos ao consumir cebola e alho em excesso

 

Todos os alimentos que ingerimos tem um efeito em nossa composição sutil. Há alimentos sátvicos, rajásicos e tamásicos.  Cebola e alho fazem parte da segunda e terceira categoria e em excesso, podem trazer os seguintes problemas:

 

1  

Estímulo exagerado de paixões, agressividade, desequilibra as emoções e a consciência e cria baixa de energia (depressão)

 

2

Desequilíbrio do fígado, baço, pulmões, rins e coração

 

3


Vegetais picantes produzem respiração ofegante e dificultosa e produzem odores corporais desagradáveis

 

4


Estimula o sistema nervoso central desestabilizando brahmacharya em iogues e estudantes espirituais, causando danos físicos, emocionais, mentais e espirituais.

 

 

O que são os Gunas? 
 

 

De acordo com o dr. David Frawley, renomado autor no campo da ciência e espiritualidade, a natureza possui uma energia qualitativa por meio da qual podemos nos expandir na sabedoria  ou nos contrair na ignorância. Essas forças fundamentais que determinam nosso desenvolvimento espiritual são chamadas de Gunas, em sânscrito, significando "o que ata", pois são energias que podem nos prender ou liberar do mundo exterior.

 

S a t w a - a inteligência, partilha o equilíbrio, virtude bondade, cria estabilidade. Leve e luminosa em sua natureza.

 

R a j a s - a energia, causa mudança,  atividade, agitação. Acrescenta um desequilíbrio que perturba o equilíbrio já existente.

 

T a m a s - a substância, cria a inércia, embotamento, funciona como força de gravidade que retarda as coisas, prendendo-as em formas específicas e limitadas.

 

Os três Gunas são as qualidades mais sutis da natureza, e fundamentam a matéria, a vida, a mente. São as energias por meio das quais não apenas a mente superficial, mas também nossa consciência mais profunda funcionam.. São as forças da alma que detêm o karma e os desejos que nos impelem de um nascimento a outro. Os Gunas pertencem à própria Natureza na forma de seu potencial de diversificação.

 

REFERÊNCIA

 

FRAWLEY, David. Uma Visão Ayurvédica da mente. 1. ed. São Paulo: Pensamento, 1999. 252p.

 

- Credito Imagem: Fonte

 

 

 

 

Compartilhe
Compartilhe
Please reload

banner-portal-vedico.png
Please reload

Please reload

Dr. Frawley sobre Ram Mandir: Uma vitória da Herança Espiritual de toda Humanidade

NaturalTech: feira que reúne marcas de produtos naturais e linhas indianas em SP

Amit Goswami, conheça o físico quântico que vem ao Brasil em abril de 2019

Estréia no Brasil filme sobre Vasant Lad, primeiro médico de Ayurveda no Ocidente

1/2
Please reload

7 Costumes Tradicionais da Índia que previnem Vírus, pelo jornalista Udaylal Pai

18 Apontamentos sobre Meditação, uma visão moderna da prática por Ashish Jain

1/3
Please reload